SINPRO e SINEPE fecham a Convenção Coletiva de Trabalho 2018

Após 5 rodadas de negociação, o Sindicato dos Professores de Instituições de Ensino Superior Privadas do Estado de Rondônia (SINPRO) e o Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino Particular do Estado de Rondônia (SINEPE) encerraram o processo de discussão e fecharam a Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) 2018.

Na última assembleia dos professores que fora convocada para o último dia 27/04 foi apresentada a contraproposta do SINEPE lavrada em ata, quais foram: (I) a reposição da inflação (1,55%), que é o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), índice oficial de inflação, apurado nos últimos doze meses que antecede a data-base; (II) seguro de vida de 60.000,00; (III) bolsa para pós-graduação na Instituição de Ensino Superior (IES); (IV) exclusão do Banco de horas da forma que estava na CCT anterior.

Após as discussões em torno da contraproposta, decidiu-se em não aceitá-la, entretanto, para que o SINPRO suspendesse a possível deflagração de greve, os professores fizeram uma nova contraproposta com base no mínimo que poderia ser aceito para fechamento da CCT deste ano, quais foram: (I) a reposição da inflação (1,5%) INPC + 0,8% de ganho real = 2,3% de reajuste salarial; (II) auxílio Alimentação de R$170,00; (III) seguro de vida de 60.000,00; (IV) bolsa integral para pós-graduação na IES; (V) alteração do Banco de Horas; (VI) não exigência na semana pedagógica dos dias em que o professor não labora no semestre anterior, (VII) homologação de rescisão no sindicato.

O SINEPE, com o termino da assembleia, reuniu as IES para apreciação da nova contraproposta do SINPRO. O SINEPE se posicionou em aceitar a contraproposta do SINPRO desde que não houvesse a obrigatoriedade da homologação da rescisão do contrato de trabalho no sindicato e no MTE, conforme a Reforma Trabalhista (Lei nº 13.467/17), reticente o SINPRO concordou e assim fechou a CCT de 2018.

O presidente do SINPRO, Prof. Luizmar Neves diz não estar satisfeito com o reajuste salarial obtido, apesar de ter conseguido um ganho real, para ele foi muito baixo, e afirma que mesmo se os professores ganhassem um reajuste salarial de 10%; ainda assim seria aquém para uma das mais nobres profissões que existe.

Por fim, outro elemento que dificultou a negociação coletiva deste ano foi a tentativa de retirada de garantias previstas em nossa CCT com a entrada em vigor da Reforma Trabalhista e ainda a decisão do Ministro Gilmar Mendes na (ADPF) 323 que suspende os efeitos de decisões da Justiça do Trabalho sobre ultratividade de acordos/convenções, ressaltou o Prof. Luizmar Neves.

A diretoria do SINPRO faz um convite para os professores que não conhecem ainda o trabalho realizado pelo sindicato, e sugere aos professores a acessarem o sítio http://www.alescomb_sinpro.org.br para se filiarem. Segue os benefícios para os filiados e seus dependentes oferecidos pelo SINPRO: (I) Atendimento médico oferecido na sede do sindicato: Clínico Geral, Pediatria, Odontologia, Ortodontia, Ginecologia, Fisioterapia e Pilates; (II) Assessoria Jurídica; (III) mais de 100 convênios em diversos seguimentos do comércio; (IV) Hotel de Trânsito em Porto Velho, Cacoal, Ji-Paraná, e em breve Pimenta Bueno.

“Estaremos inaugurando a subsede de Ji-Paraná nesta segunda quinzena de maio e logo em seguida de Pimenta Bueno, oferecendo atendimento médico, convênios e hotel de trânsito”, finalizou o presidente do sindicato, Prof. Luizmar Neves.

O SINPRO, está à disposição dos professores para esclarecer quaisquer eventuais dúvidas sobre a mencionada CCT 2018.

Canais de atendimento: Pelo Telefone (69) 3015-5764 | E-mail: alescomb_sinpro@alescomb_sinpro.org.br | Site: http://www.alescomb_sinpro.org.br | facebook.com/SinproRO






 
|
| Imprimir